terça-feira, 21 de maio de 2013

ovo

na porta do prédio da antiga rua correa dos santos, por volta de mil novecentos e setenta e dois, então com dez anos, li as primeiras frases de demian, de herman hesse, num livro provavelmente emprestado de minhas irmãs bem mais velhas: o pássaro quebra a casca; o ovo é o mundo; quem quiser nascer tem de quebrar o mundo. lembro de estacar muda, por alguns minutos. era uma revelação. quantas cascas quebrei, quantos mundos, quantas vezes parei muda nas calçadas e só hoje, quarenta anos mais tarde, sei que ainda estou dentro do ovo.

5 comentários:

  1. as cascas que nunca se quebram são as que devem ser evitadas...

    ResponderExcluir
  2. Uau mesmo! Vim parar aqui no seu blog...que interessante: adoro prosa curta!

    ResponderExcluir
  3. vc vai quebrar essa casca também?

    ResponderExcluir
  4. E daqui a 40 anos o que vc vai dizer?

    ResponderExcluir