segunda-feira, 14 de maio de 2012

liquidificador

fui socialista na adolescência, mantive atividades sempre coerentes com uma ideologia do máximo de justiça social possível, nunca fui entusiasta do consumismo e não sou adepta de quase nenhum luxo ou da cultura dos supérfluos. dito isso, preciso confessar, sem medo, culpa ou falsos pruridos: eu amo meu novo liquidificador.

2 comentários:

  1. acho que é pq mesmo sem querer também fazemos parte da pós-modernidade. o botão liga e desliga, o conteúdo não vaza, o barulho é abafado. tudo líquido como descreve Zigmunt Bauman

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Minha mulher também é assim!

    ResponderExcluir