terça-feira, 25 de março de 2014

solidão

melhor do que fazer as coisas certo, é fazer as coisas leve, mesmo quando elas são pesadas. as coisas certo envaidecem, mas causam solidão. ninguém quer muito a companhia de quem faz tudo certo.

2 comentários:

  1. júlia favaron magoulas20 de abril de 2014 16:26

    ela é ( ou era)silenciosa. vira uma companheira, para todas as horas, meses e anos. já mais de vinte. cria escaninhos para guardar lembranças, rituais para afastar o mal e aproximar o bem, rondas noturnas para examinar os perigos domésticos, olhar para fora da janela e ver as luzes ainda acesas, listar o que não foi feito e o que tem ser feito no dia, na vida inteira, quando ela, a vida, vai estreitando o seu tempo. aqueles do seu tempo, mais velhos, começam a ir embora. e os mais próximos um pouco mais adiante, também. a urgência da vida é passagem transcrita de uma gaveta de guardados de uma artista plástica, que sublima e cria. ela não é mais silenciosa, quando o diário de angústia parecia lhe bastar. ela agora tem gritado, no tanque da área de serviço, nas calçadas irregulares e as vezes quebradas, que podem lhe derrubar, na água do chuveiro que não corre com a mesma força, no controle remoto que muda de canal, na avalanche de por ques. o bordão do cansaço e do difícil não é leve. acho que ninguém também quer a companhia de quem vive como se tivesse feito tudo errado. em tempos de exclusão e inclusão, teorias sociais não ajudam almas solitárias.

    ResponderExcluir