terça-feira, 24 de agosto de 2010

nomes

os ostrogodos magiares, a quem eu respeito muito, e que falam uma língua que, de acordo com guimarães rosa, só fala quem tem parte com o demo, me enviaram lá do fundo do tempo e das planícies húngaras, duas pessoas que eu mal conheço, mas com quem me sinto prontamente identificada: adriana komives e veronika paulics. como gosto de ouvir esses nomes que terminam em s, precedidos de consoantes cujas combinações são estranhas ao português. como gosto da letra k nesses nomes, que os torna imediatamente antigos, ou mais que antigos, ancestrais. pessoas com esses nomes estão aí para tudo, haja o que houver, e lutariam tranquilamente contra os godos nórdicos numa batalha de drakkars. agradeço a este blog, aos ostrogodos, aos nomes das minhas amigas e a elas, por levarem a força de seus nomes para sua vida, para o mundo e, como um acaso destinado, também para mim.

3 comentários:

  1. Voce acaba de citar duas das minhas melhores amigas, e concordo com cada palavra sua. Viva as ostrogodas!!!

    ResponderExcluir
  2. magyar da Puszta Húngara25 de agosto de 2010 03:31

    Puxa ! Obrigada !
    Adriana Komives, ostrogoda magyar de férias no mar azul do sul da França…

    ResponderExcluir
  3. é tão bom reler isso. v.

    ResponderExcluir